Foz do Iguaçu últimos dias | Parte 3

18:46

Passeios_Viagem

3º dia - Ruínas Jesuítas de San Ignacio, Minas de Wanda e Duty Free.

As ruínas de San Ignacio foram um achado. Não é o passeio mais conhecido já que é um pouco distante e nem todo mundo gosta de visitar ruínas no meio do nada, por isso nem é tão pesquisado assim, mas para nós, ter estado naquele lugar cheio de história foi incrível. Havia um passado muito rico por ali, que nos encantou muito.

O lugar - para quem nunca ouviu falar - é um conjunto de antigas construções jesuítas onde é possível ver o que restou das estruturas da igreja, do colégio e também de outras dependências da região e o ingresso custou 80 pesos - lembrando que é necessário pegar a estrada argentina para chegar, e a viagem levou mais ou menos duas horas e meia (de carro).

As Minas de Wanda não nos agradou tanto. Há apenas uma gruta onde o guia mostrou os tipos de pedras preciosas e semipreciosas que são extraídas de lá. Nos contou também um pouco da história do lugar, mas não entendemos muito do que ele disse, já que ele explicava muito rápido e em espanhol! O pior é que não achamos o lugar nem mesmo bonito, e só talvez pessoas mais interessadas em comprar pedras preciosas ou que estiverem indo visitar San Ignacio gostariam do passeio, caso contrário, no nosso ponto de vista, é melhor gastar seu tempo indo para outro lugar. O ingresso custou entre 10 e 20 pesos, se não me engano.

O Duty Free é razoavelmente grande - pelo menos comparado aos de aeroportos . É bonito e conta com uma boa variedade de produtos, mas pouca coisa compensa realmente comprar por lá. Pelo que nos recomendaram, apenas bebidas e perfumes, já que o dólar estava um pouco mais caro na época.

Fomos para todos os passeios com um taxista chamado Esteban e fechamos o valor de 250 reais, sendo que havia a possibilidade de fecharmos com alguma empresa de turismo, e talvez até ficasse um pouco mais barato se pesquisássemos melhor, mas em comparação com os preços que tínhamos em mãos, compensou muito pagar 125 reais para cada um, sem falar no conforto e flexibilidade de horários para visitarmos cada lugar.

RuinasJesuitas_MinasWanda

4º dia – Templo Budista, Mesquita Árabe, Itaipu - lado paraguaio e Paraguai.

Fechamos novamente um valor fixo com o taxista para nos levar em todos os lugares. Dessa vez achei o preço um pouco salgado - 300 reais -, mas pensando pela comodidade, valeu a pena, afinal ele sabia onde ficavam todos os lugares que queríamos visitar, e sem ele talvez não teríamos conseguido ir a todos no mesmo dia.

O templo budista é um lugar tranquilo, cheio de estatuas lindas, também é possível aproveitar os jardins do lugar e a arquitetura do templo, além da vista da cidade de Foz e da Ciudad del Este.  A entrada é gratuita.

page

A mesquita é um lugar com uma arquitetura admirável. As mulheres precisam usar um manto para entrar na mesquita, e às vezes uma saia longa - se estiverem com as pernas à mostra. Tivemos uma boa conversa com um senhor que fica à disposição para tirar dúvidas sobre a religião, e a visita também foi rápida e gratuita.

Na hora de visitar a usina de Itaipu, optamos por ir ao lado paraguaio, já que a entrada era gratuita e seria praticamente a mesma coisa se fossemos pelo lado brasileiro, tirando o fato de que aqui no Brasil é possível ver a usina por dentro e algumas outras instalações, mas seria um passeio pago.

Mesquita_Itaipu

Lá, nós assistimos a um vídeo sobre a construção da usina em espanhol e andamos por ela de ônibus, parando apenas para ver as comportas. É impressionante a grandeza daquela obra, e o tamanho das tubulações. É tudo realmente gigantesco!

Saindo da usina, fomos tentar fazer algumas compras no Paraguai. O lugar é uma loucura, uma mistura de shopping chique com camelôs e a rua é mais confusa do que a 25 de março aqui em São Paulo.

Para ser sincera, andamos pouco por lá, e assim como o Duty Free, parece que não é tudo que ainda compensa comprar, e é necessário tomar cuidado também para não ser enganado. O lado bom é a grande opção de produtos de grifes e marcas famosas.

Os preços ainda são inferiores aos do Brasil, mas não é nenhuma pechincha, então tenha em mente que se você quiser algo, vai ter que desembolsar uma boa graninha sim (pelo menos dependendo de qual será a cotação do dólar na época que você visitar).

Bom pessoal, os posts de Foz do Iguaçu acabaram, mas espero que tenham gostado das dicas e se tiverem alguma dúvida, estarei à disposição para ajuda-los!

You Might Also Like

0 comentários

POSTS POPULARES

Facebook

Flickr Images

Subscribe